segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Swing Ceará

Uma loucura!!!
Fortaleza estava quente quando entrei na Internet e fui pesquisar clubes de swing para esquentar ainda mais.
Ligo para um, ligo para outro e escolhemos a Boate Babilônia depois de falar com o Paulo.
O atendimento foi estranho, ele deu a entender que não tinha muita paciência e um discurso pronto. Eu perguntava, ele me cortava e dizia: - é isso que eu ia falar, só um minuto e seguia o mesmo discurso. E seguia no seu discurso...

Expliquei que erámos de São Paulo e que as casas aqui são diferentes. Ouvi pela cara que ali eles atendiam europeus, logo o padrão dele era esse. Melhor que o de São Paulo
Pergunto pelos ambientes e ouço que ele tem tudo. Quarto escuro, quarto acesso, boate, pista de dança e o escambau que eu imaginar!

Entramos em um táxi e fomos! Por sorte, pegamos um motorista "espertinho", "da pá virada" e logo entendeu o que íamos fazer.
O local era um motel. *kkkkkk
Claro que antes de entrar pedi ao motorista para esperar dez minutos. Caso eu desistisse, não teria que esperar táxi.
"Nos fundos" do motel foi feito algo parecido com uma boate.
Embaixo, um bar improvisado (caixas de cerveja e uma tábua era o balão), algumas mesas e cadeiras (de plástico), uma sauna (que não foi ligada), dois banheiros (que qualquer ser humano são não usaria), música livre (já explico porque do livre), uma mesa de sinuca e uma outra boate minúscula com música exclusiva (tendeu?). Interessante que se essa boate pequena estivesse sem luzes seria o melhor quarto escuro que já vi, mas mesmo a pedidos, mantiveram as luzes acessas.

O movimento na casa foi interessante, as pessoas demoram para começar a troca, mas quando começam vão todos para o mesmo quarto e... já era! *kkkk Ninguém perdoa ninguém.

Algumas coisas me chamaram a atenção:
Vi, pela primeira vez em swing, mulheres "com qualquer roupa" e homens de havaianas, bermuda e camiseta.
Vi, pela primeira vez em swing, homens tentando transar sem camisinha.
[peço toda atenção do mundo]
Vi, pela primeira vez em swing, nosso cartão de crédito ser clonado.
Antes que reste dúvidas e sobre processo, explico:

Por um sem fim de "tombos e perdidos", somso encanados com o uso do cartão de crédito.
Quando resolvemos ir a swing pedimos novos cartões e os reservamos exclusivamente para isso. Repito: O cartão que usamos para pagar swing é exclusivo para esse fim e... anotamos quando usamos (vide logbook aqui do blog mesmo. É uma das maneiras).

Na Babilônia a moça que nso atendeu perguntou se cartão era de chip, respondemos que não e... ela levou o cartão para outra sala. Demorou mais que o padrão e voltou com ares de nervoso.
Trabalho com a psiquê humana, identifiquei o padrão e... não pensamos duas vezes, ligamos para a operadora do cartão assim que chegamos ao hotel.
Resultado: Semana passada a operadora nos ligou avisando que tentaram usar o cartão com valores acima de mil reais.
O único lugar onde o cartão foi usado foi na citada boate, logo, Ceará é linda, mas enquanto turisma sugiro cuidado.
Agora adotamos o padrão de somente usar cash nos clubes desconhecidos e, sobretudo, fora do circuito São Paulo.
Quem foi, como foi, onde foi, sinceramente não é importante agora, o que importa é que foi e isso é inadmissível.
Sou puto, faço oque o país aceita como legal, não concordarei com roubo e uso indevido de quem quer que seja.

6 comentários:

  1. Bom Dia ao casal mais aventureiro q conheço.
    Carlos, to achando melhor vc comentar as aventuras q deram certo, as que deram erradas estão me deixando assustado...rsrsrs, tem sido uma mais complicada q a outra.
    Já ouvi algumas coisas também sobre o turismo abusivo na bahia, dizem q exploram demais os turistas por lá.
    Agradeço mais essa dica de turismo. Abs.

    Anderson Dantas

    ResponderExcluir
  2. Salve Anderson!
    Pois é amigo... muitas vezes penso se não presto um des-serviço ao meio com esses posts tresloucados.
    Penso, reflito e vejo qur tem tanto relato por ai e uma carência tão grande de posts assim que acabo postando.
    Na Bahia fomos a duas casas e a coisa foi tão feia que não ficamos mais que 15 minutos.
    Não é fácil, não é fácil mesmo, amigo...

    Abração e obrigado por sempre nos acompanhar.

    ResponderExcluir
  3. Ola casal! tudo bem?
    Então, sou um solteiro no meio swing há mais de ano no Rio de Janeiro. Em março, estarei indo à Fortaleza e me convidaram para conhecer esta casa. Mas devido ao relato de vocês, to com receio desse lugar... É realmente tão ruim assim!?

    Bjo pra ela e um abç pra ele

    Zebra///

    ResponderExcluir
  4. Poxa que foda mesmo mais me fale quem era o casal promoter?....ae isso na vai ficar assim eu vo espalhar aki em fortaleza atraves do meu blog,orkut e msn para todos...isso e fodaaaaaaaaaaa.....

    ResponderExcluir
  5. Salve Zebra Hedonista!
    O julgo cabe a cada um. O que pode ser ruim, sexualmente falando para mim, pode não ser para você.
    O que vi foi falta de higiene, pessoas sem o cuidado que seria comum em uma casa de swing e um proprietário/promoter que mentiu ao dizer que a casa era padrão internacional quando não atinge nem mesmo o nacional.
    Não tenha dúvidas que sempre vale uma visita, claro que com todos os cuidados tomados.

    Abração grandão!

    ResponderExcluir
  6. Salve Kazal Seven!
    Tentei achar o blog de vocês, até para seguir e não consegui. Por favor, deixe o link. Será um prazer linkar a este.
    Sinceramente temos todas as feições, nomes, roupas e horários anotados para a necessidade de algo judicial.
    Não revelaremos nomes, acreditamos que basta o nome do Paulo, a pessoa que nos atendeu via fone, deu esse nome, o local, dia e horário.
    Seguramente essa não foi a primeira vez, torcemos para que tenha sido a última, afinal acionamos todos os meios legais.
    E acredite, não vamos desistir do swing no norte/nordeste por conta desse episódio, apenas mudamos nossos habitos. Um deles é usar mais dinheiro em espécie que cartão e outra foi solicitar um cartão com chip.
    Vamos vivendo, afinal, a vida é "também isso" e não "só isso".

    Obrigado pela carinho!

    ResponderExcluir